Procedimentos para corte e poda de árvores em BH


A arborização é um componente de extensa relevância na vista urbana. Além da função paisagística, também exerce outras funções: proteção vs a ação dos ventos, subtração da poluição sonora, proporciona sombras, ambientação à permanência dos pássaros, colaborando, deste modo, com a melhoria da saúde física e também mental da população.

Embora sejam de fundamental relevância na vida de uma cidade, as árvores, quando plantadas inadequadamente, ou em lugares inapropriados, podem causar transtornos, como: Curto circuito nas redes elétricas de distribuição de energia, rompimento de cabos condutores, interrupções no abastecimento de energia, risco de morte de pedestres, queima de eletrodomésticos, comprometimento da iluminação pública, prejudicando a segurança. Por esse motivo a manutenção deve ser constante, através de podas, supressões, plantios e também transplantios. 


A medida mais freqüente e também bastante percebida pela população de Belo Horizonte, é a poda. Esta prática tem várias finalidades: O corte e a poda de árvores em BH visa proporcionar estabilidade à copa e também adequá-la ao espaço. Há também a poda de manutenção, que tende a se preventiva, para evitar danos à rede elétrica ou a iluminação pública ou para a retirada de galhos danificados.

A intensidade de poda é variável, porém esta deve ser o quanto menor possível. De modo constante, em poucos casos, como no ataque severo por relva de passarinho.


Procedimentos para corte e poda de árvores em locais públicos:


No caso de árvores localizadas em logradouros públicos, a autorização para poda de árvores pode ser solicitada junto a Prefeitura, pela Internet, por telefone ou de forma direta na Secretaria Municipal Regional. Posteriormente ao procedimento, o engenheiro especializado vai ao lugar e também emite um laudo que é guiado à Gerência de Parques e também Jardins, responsáveis pela realização do serviço recomendado.

A ausência de autorização para poda leva à possibilidade de emprego de multas ao infrator. As infrações variam entre leve, grave ou gravíssima. No caso de supressão, além da multa, o infrator é encarregado pela reposição de espécimes em número homeomorfo ao critério de espécie suprimida - localização, raridade, antigüidade, de seu interesse histórico, científico ou paisagístico, ou, ainda, de sua quesito de porta-sementes).



Esperamos que essas informações possam ajudar.
Se você gostou, compartilhe com seus amigos!

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe seu comentário! Sua opinião pode influenciar pessoas.